terça-feira, 25 de julho de 2017

Mauricio Einhorn e Sebastião Tapajós - 1984 Full Álbum

Maravilhas da MPB... vamos recordar ?


Maurício Einhorn & Sebastião Tapajós convidado especial Arismar do Espírito Santo (22/09/2011)

Mauricio Einhorn – Nascido na Lapa, no Rio de Janeiro, em 29 de maio de 1932, Mauricio, cujo nome era Moisés David, foi criado no flamengo. Com cinco anos, já brincava com uma harmônica de boca, que ganhou de seus pais, que eram gaitistas também. Ele começou tirando de ouvido valsas vienenses, especialmente as de Strauss. Ele se diz um músico de ouvido, apesar de ter estudado com Eumir Deodato e Moacir Santos, e dominar a teoria musical. Ao contrários da maioria dos músicos populares cariocas, Mauricio não teve o choro e o samba como grandes influências. Ele ouvia polcas e obras de J. Strauss e, posteriormente, Frank Sinatra, Haymes, Doris Day, Andrews Sister e com as orquestras de Tommy Dorsey e Glenn Miller, Luiz Eça, Erroll Garner, Hank Jones, Lennie Tristano, Kenny Barron, Thelonious Monk e Oscar Peterson, de Toots Thielemans e de Charlie Parker, além de toda a obra de Chopin. Mas, claro, ele também teve influência de grandes músicos brasileiros, como Pixinguinha e Noel Rosa. E participou também de momentos incríveis da música brasileira, porque acompanhou, em shows e gravações, dezenas de artistas, como Vitor Assis Brasil, Chico Buarque, Os Gatos, Abolição, Claudette Soares, Eumir Deodato, Os Cariocas, Gilberto Gil, Elis Regina, Nara Leão, Maysa, Raul Seixas, Maria Bethânia, Elba Ramalho, Zizi Possi, Elizabeth Cardoso, Luiz Melodia, Tito Madi, Pery Ribeiro, Carmen Costa, Olívia Hime, Lúcio Alves, Tom Jobim, Baden Powell, Edu Lobo, Hermeto Pascoal, Manfredo Fest, Paulo Moura, Sebastião Tapajós, Sérgio Mendes, Sivuca, entre outros. Mauricio Einhorn, por fim, tem cerca de quinhentas composições.
Sebastião Tapajós – nascido em Santarém, no Pará, ele começou a estudar violão com nove anos de idade, com seu pai. Morou em Belém e, depois, no Rio de Janeiro. Estudou violão clássico em Portugal, no Conservatório Nacional de Música de Lisboa, e na Espanha, com Emilio Pujol.  Quando terminou os estudos, voltou ao Brasil. Sua carreira teve um grande impulso quando ele tocou o Concerto para Violão e Pequena Orquestra, de Villa-Lobos, com a Orquestra Sinfônica Nacional, no Teatro Municipal do Rio de Janeiro. Na década de 1970, Tapajós estudou a fundo a música brasileira, interpretando grandes compositores, compondo e pesquisando ritmos e gêneros populares. Criou um estilo próprio de compor e tocar, utilizando recursos variados do violão. Ele já gravou mais de 50 discos, e já tocou com Gerry Mulligan, Astor Piazzolla, Oscar Peterson, Paquito D’Rivera, Zimbo Trio, Maurício Einhorn, Hermeto Pascoal, para citar apenas alguns.
Arismar do Espírito Santo – ele toca contrabaixo, violão, guitarra, piano e bateria. Já tocou com Hermeto Pascoal, César Camargo Mariano, Sebastião Tapajós, Jane Duboc, Sueli Costa, Raul de Souza, Maurício Einhorn, Hélio Delmiro, Roberto Sion, Sivuca, Filó Machado, Dominguinhos, Luís Eça, Dory Caymmi, Heraldo do Monte, Lenine, Joyce, Paquito D’Rivera, Lisa Ono, João Donato, Laércio de Freitas, Leny Andrade, Maurício Carrilho, Paulo Moura, Toninho Horta, Yuka Kido, Borguetinho, Eduardo Gudin, Zé Renato, Leandro Braga, Cristóvão Bastos, Fátima Guedes, Nivaldo Ornelas, Roberto Menescal, Banda Mantiqueira, Henrique “Zurdo” Roizner, Satoshi Takeishi, John Lee, Lucho Gonzales, apenas para citar alguns. Ganhou o Prêmio Sharp  de Música com seu primeiro CD solo.

Bom, então, quando esses três espetaculares músicos resolveram tocar juntos, imaginem o que deu. É música brasileira profunda. Então, ouçam e aproveitem!
texto: blog: acervoorigens

Mauricio Einhorn e Sebastião Tapajós - 1984 Full Álbum 
Faixas/Tracks
01 [00:00] Tema Pro Barney Kessel
02 [04:12] Alma Nômade
03 [07:35] Ari Olha
04 [12:09] Romântica
05 [15:50] Luá Joá
06 [20:08] Suíte Pra Detinha

terça-feira, 11 de julho de 2017

Sem-vergonha também fica velho!!!!

Maestro..da Pau Brasil...
Bajulado pela imprensa em geral, Joâo Carlos Martins representa o que há de mais nocivo numa sociedade. Homens públicos com falta de caráter. E esse com certeza é um deles. Condenado pelo Tribunal Regional Federal da 3ª região em São Paulo, a dois anos e 9 meses de cadeia e pagamento de multa por ter realizado vários crimes de ordem tributária, é, a toda hora, homenageado pela imprensa brasileira que entre outras mazelas adora promover esse tipo de gente. João Carlos Martins, além de maestro, ficou nacionalmente conhecido pelo escândalo Pau Brasil lá pelos idos de 1990. Ele era um dos responsáveis pela arrecadação de dinheiro por baixo dos panos para seu sócio Paulo Salim Maluf um dos maiores ladrões que passou pela prefeitura de São Paulo. (condenado pela 1ª turma do STF dias atrás a 7 anos, 9 meses e 10 dias de prisão em regime fechado, por crimes de lavagem de dinheiro). Martins na época era sócio de Rubens Kaufman numa empreiteira (sempre elas) chamada Entersa Construções e Empreendimentos Ltda. De acôrdo com a Justiça, a Entersa praticou inúmeras fraudes em sua contabilidade para esconder recursos da Receita Federal. 
Não poderia deixar de fazer aqui o registro, haja vista toda a badalação em torno do filme da "vida" do "Maestro da Pau Brasil". A imprensa as vezes esquece rápido e omite fatos importantes como esse narrado acima. De que adianta ser um gênio em sua profissão e nas horas vagas ser corrupto ? Que exemplo a dar as pessoas de bem? Esse, citado acima? Seguidamente tenho visto manifestações de apreço por esse nefasto personagem em todas as redes de tv, jornais e rádios brasileiras. Fico com a impressão que é mais um a escapar ileso daquilo que deve a toda a sociedade como homem público que é. Resta indagar qual seria a verdadeira razão para que tenha perdido os dedos com que tocava magistralmente o piano, seus instrumento de trabalho. Talvez julgado pela justiça divina que vez ou outra resolve acertar as contas com esse tipo de gente, aqui mesmo na terra. O mal que esses personagens causam a toda a sociedade está bem representado na operação Lava Jato. 


terça-feira, 4 de julho de 2017

Do blog do Prévidi....


Escreve Glauco Fonseca - www.glaucofonseca.com.br


Fiz meditação avançada para tentar descobrir porque não me motivo a ir às ruas e contestar "tudo isto que está aí". E descobri várias coisas que se complementam e me preocuparam ainda mais.
1) Eu achava que o PT, Dilma e Lula eram o que podia nos ocorrer de pior. Até que descobri o PMDB, Temer, Aécio Neves e a enorme amplitude de suas quadrilhas;
2) Descobri que o PT roubava de tudo que é jeito porque os demais concordavam. E que roubavam junto, só que eu não sabia;
3) Descobri que um judiciário lento e precário é tão ruim ou pior do que um executivo contaminado e um legislativo imundo. Se há uma coisa pior do que um mau juiz, é um juiz sem compromisso com seu ofício. Dos corruptos nem preciso comentar.
4) O Supremo Tribunal Federal é a maior farsa deste país. Um colegiado onde participam Gilmar Mendes, Ricardo Lewandowski, Dias Tóffoli e o carequinha tucano, onde o relator da Lava-Jato fez campanha aberta por Dilma, onde um usa peruca e o outro é um "juiz de merda", não tem como funcionar senão como balcão de negócios penais de "alto" nível.
5) O mau uso da democracia pode ser observado com clareza absurda na América Latina. Chávez usou a democracia para corrompê-la e agora seu feto maldito usa as forças armadas para liquidá-la de vez. Já o Brasil, abusou da democracia para tungar o estado, para ampliar os feudos malignos e destruir a esperança de milhões. Por isto, não acho que o Brasil poderá ser uma Venezuela. Os bandidos de lá são muito mais fracos do que os bandidos daqui.
6) Os que pedem intervenção militar são apenas pessoas que já extrapolaram a seara da esperança. São pessoas como eu e você que acreditam que só uma entidade externa resolve o problema. Eu entendo os "intervencionistas", não concordo com eles, mas os respeito. Recomendo a todos que façam o mesmo: tenham respeito por irmãos brasileiros que pedem o outro extremo por causa de sua descrença no modelo atual. Eles tem direito de reivindicar.
7) Em relação ao que tratou o item anterior, lembro que tenhamos cuidado com o que queremos, pois podemos receber...Intervenção militar é algo duro e violento. O mundo vai rir ainda mais de nós. Outro detalhe: Quando terminará a tal intervenção? Haverá prisões, exílios, supressão de direitos e garantias? Cuidado com o que se pede...
8) Em 2018, será meu candidato alguém que nunca tenha sido eleito. Quer se livrar de raposas velhas e criadas? Pois vote em gente nova e dê chance aos novos (nada a ver com idade). Vou votar no presidente e no governador que NÃO tornar ministros ou secretários POLÍTICOS MANJADOS, nem tampouco retirá-los do Congresso ou das Assembleias. Ministros e secretários COM ALTO TEOR PROFISSIONAL, reconhecidos por sua competência e seriedade. Senão, NÃO.
9) MBL e outros movimentos acabaram quando vários de seus elementos passaram a ocupar boquinhas aqui ou acolá. Tudo bem, direito deles, liberdade e coisa e tal. Se eu soubesse que o compromisso deles era, de fato, com a missão personalíssima de arrumar emprego, eu teria pensado duas vezes antes de tirar fotos com a turma. Eu não sabia e peço desculpas, de minha parte.
10) Não. Ainda não desisti do meu país. Ainda sou brasileiro e não vou me curvar diante do monstruoso cenário que se criou - e eu também sou responsável por isto, como cidadão! - e também não vou para outro país que jamais será meu e de meus filhos. Aqui eu tenho o meu pendão da esperança e símbolo augusto da paz, mesmo que haja guerra.


quinta-feira, 15 de junho de 2017

Tempodestino - Vital Lima e Nilson Chaves.





Musica composta pelos grandes intérpretes e compositores paraenses Vital Lima e Nilson Chaves, tendo como companheira dos dois nessa belíssima interpretação a também paraense Leila Pinheiro.

segunda-feira, 12 de junho de 2017

Seria isto preconceito?? Homofobia ??? ou outra coisa?



Me perdoem os ditos "politicamente corretos" mas as coisas estão chegando em um ponto em que nada mais tem regras, condição inegociável para se viver em uma sociedade ajustada. Sua liberdade vai até onde começa a liberdade do outro pois em não sendo assim, as coisas vão se deteriorando e todos acham que podem fazer o aquilo que lhe der na telha. Isso aí se compara sem sombra de dúvida com o que fez esses bandidos que se acharam no direito de "tatuar" aquele pobre menino doente que teria tentado roubar uma bicicleta. Prenderam o moço em um cativeiro e resolveram fazer justiça com as próprias mãos. Seguindo esse critério que é bem o caso do vídeo aí de cima, está liberado geral. Não existe mais leis e nem regras. Os alunos em classe se resolverem fazer sexo dentro da sala de aula, tudo bem. Sentar no "colo" do namorado dentro de uma sala de aula, me desculpe , é além de uma falta de respeito para com seus colegas e professores, é uma atitude totalmente deplorável, entre outras, ter falta de  educação. E educação se aprende em casa. Hoje nas salas de aula o que se vê é isso aí de cima. Alunos dormindo dentro da classe, usando celular durante o aprendizado pra postar mensagens, se agarrando pelos cantos, numa total falta de respeito para com o ensino. Se essas duas criaturas aí de cima resolverem se esfregar, dormir juntos, se beijarem na boca, "trepar" (pois essas criaturas aí não fazem sexo, "trepam") ninguém tem nada a ver com isso. Tudo em nome claro, do não preconceito. Esse jovem aí, além de ser um mal educado, é um transgressor das regras do bom convívio com as pessoas. Deveria ser sumariamente expulso do colégio em que comparece pois não acredito que vai lá para estudar  e aprender alguma coisa de fundamento. Está mais que na hora das pessoas se revoltarem contra essas atitudes. Essas sim, preconceituosa contra o bom convívio entre as pessoas. 

terça-feira, 23 de maio de 2017

ROGER MOORE - James Bond 007 - Na eternidade.


Roger Moore...nosso mais famoso 007
Morre nosso mais famoso 007, Sir Roger George Moore,(89 anos)  (14.10.1927,StockwellLondres - 23.05.2017,Suiça). Um dos mais famosos atores britânicos, Roger Moore teve sua celebridade mundial marcada como um dos principais intérpretes do personagem agente secreto 007 James Bond. Por 7 vezes Moore aparece como esse personagem que ganhou o mundo nas telas do cinema. Um importante representante embaixador da UNICEF, continuou sempre em evidencia principalmente por suas ações humanitárias. Em 1999, Roger Moore foi condecorado como Cavaleiro do Império Britânico. (de câncer, na Suiça)



segunda-feira, 22 de maio de 2017

Por isso que defendo a liturgia e a cerimônia

segunda-feira, 15 de maio de 2017

UM EXPERT EM PORCOS - Juan José Millas - El País


A última temporada em Fargo (Série da ICON Televison) começa com um interrogatório na antiga Alemanha Oriental. A polícia interroga um detido e pergunta se ele se chama Joe Doe. O detido diz que não. A polícia verifica então alguns papéis e diz que o que é colocado lá é que representa verdadeiramente a visão do Estado.
- Talvez o Estado possa estar errado? Acrescenta o interrogador.
O detido emudece pois acusar o Estado de cometer erros pode levar a mais conflitos do que a representação. O Estado em regimes totalitários sempre estará certo. 
Na foto acima, tens Kim Jong-un levando a razão no que diz respeito a porcos. O "Querido Líder", ou como é conhecida essa saga familiar, indivíduo amado e que não sabe nada acerca desses animais,  porém convidaram-no a visitar uma Granja e aí o tem: se separou do séquito, aproximou-se dos "gorditos" e começou a opinar sobre seu peso, seu tamanho, sua cor, sua textura...não temos nem idéia. O certo é que sua atitude é a de um entendido capaz de fornecer uma lição magistral sobre a matéria.   Na verdade, seus subordinados estão com um caderno e lápis para tomar notas. Talvez, Kim Jong-un acabou de dizer que esses cervos estão pesados demais em kilos. Se ele diz que são Cervos, são Cervos. Ou quem sabe está se limitando a contar: um, dois, três, quatro, para mostrar seus conhecimentos de aritmética. Seja o que for, a cena assusta porque, em quanto homem, mesmo em carne de porco (todos os mamíferos até ao fim e cabo) também sofre de alguma forma.
Aqui, o único que gosta  é a gordura.
(extraído do Jornal espanhol El País)

segunda-feira, 8 de maio de 2017

Federer 2017...em frente.


Roger Federer 2017.
                                        Depois das três vitórias memoráveis que conquistou neste ano de 2017, ,Grand Slam no Aberto da Australia , ATP 1000 de Indian Wells e ATP 1000 de Miami,  Roger Federer renasce para o tênis mundial. Tendo que abandonar o circuíto mundial no ano passado por diversas lesões,  esse exemplo maior de atleta. volta com tudo e surpreende a todos os aficionados do tênis. Federer está com 35 anos o que é surpreendente para um tenista vencer um grande slam.( Federer tornou-se o segundo mais velho vencedor do Grand Slam após o lendário Ken Rosewall vencer o Aberto da Austrália de 1972 aos 37 anos)  
 Com essas três últimas vitórias em 2017, o Suíço chega ao incrível número de 90 títulos ( sendo: 18 grand slams, 6 ATP Tour World Finals, 25 Masters 1000, 17 ATP 500s e 24 ATP 250s)
 Está se aproximando do tcheco Ivan Lendl que fica em segundo lugar na lista da ATP de todos os tempos com 94 vitórias no torneio. Em primeiro lugar se encontra o lendário tenista norte-americano  Jimmy Connors com 109 títulos.
 Animado com essas últimas vitórias, após relutar muito pensando na sua recuperação e uma maior presença junto a família,  resolveu voltar as quadras de saibro confirmando sua participação no Aberto da França (Roland Garros).  Todos esperam sua apresentação . Vamos lá meu jovem.

quinta-feira, 4 de maio de 2017

Assembléia gaúcha é motivo de piada!!!


Seria hilário mas como trátase de uma "casa legislativa" onde esses senhores deveriam estar trabalhando e cuidando de assuntos sérios,a piada acima passa a ser de mau gosto. Isso está acontecendo na Assembléia Legislativa do Rio Grande do Sul. Um "nobre deputado" daquela casa (pasmem: o próprio presidente da Assembléia) está homenageando com a medalha mais importante outorgada pelo estado que é a Medalha do Mérito Farroupilha,  vários participantes de um programa da TV Globo, The Voice Kids 2017. 
Como gaúcho que sou,  fico me perguntando se essa gente não tem mais o que fazer do que escrachar o Rio Grande do Sul que, segundo ao que me consta, encontrasse em estado falimentar , com certeza entre tantas omissões e incompetências de seus governantes, um dos motivos é a gastança patrocinada por esses senhores e essas atitudes prá lá de ridículas.  O nome do sujeito é Edegar Pretto. E a única atitude a ser tomada contra mais essa idiotice é lembrar do nome desse energúmeno aí nas próximas eleições. Está mais que na hora do povo riograndense escolher melhor em quem vota, procedendo o que poderia se chamar "uma profilaxia" na política gaúcha.  Que vergonha!!!!!!



domingo, 30 de abril de 2017

Lá foi ele ao encontro de Elis!!!

                                                    É isso aí parceiro. Descansou finalmente dessa busca louca que é a da procura das razões pra se viver neste mundo de hoje. Queria escrever alguma coisa prá vc. meu irmão mas aqui neste País, escrever alguma coisa que tenha que fazer as pessoas pensarem, é o mesmo que gritar contra o vento. Só vc vai ouvir. Por isso quero registrar aqui neste meu espaço que meia dúzia de "gentes" irão ler, minha tristeza pela tua despedida. Sózinho, desamparado por todos que andavam a tua volta. Neste País de merda que tem um povo formado pela borra do mundo. Num País em que as pessoas esquecem o que comeram ontem de meio dia. Um povo que esquece em quem votou ao sair da sala de votação. Vc, meu querido, não seria a exceção. Vc. com suas letras exalando o amor, mensagens de paz, união entre os povos, não teria o direito de ser lembrado e homenageado todos os dias em que fizestes parte aqui deste mundo. Vc. faz parte das pessoas pensantes , criativas, inteligentes, cultas desta bosta de País. Portanto, vc só está sendo lembrado hoje, pela tua morte repentina. A imprensa noticía desde as primeiras horas da manhã o desaparecimento de Belchior, o " maravilhoso compositor" brasileiro. Espalham loas sobre vc. quando até ontem, por um período de mais ou menos 15 anos, não existias mais para eles e portanto,  no cenário nacional. Não procuraram muito saber qual a causa do teu "exílio" forçado, aqui neste País preocupado mais com as novelas da Globo. Porque fostes procurar um canto no fim do mundo para descansar em paz depois de ter andando por muitas paragens desconhecidas. Ficastes pelo caminho, meu querido, antes de entender as razões porque tudo por aqui vai mal obrigado. Ou melhor. Quem sabe, tenhas decifrado toda essa porcaria em que a humanidade se transformou e te recusastes a fazer parte disto. Mesmo porque um cara como vc. mesmo que quisesse não poderia fazer parte dessa mistureba de criaturas mal paradas em que tudo e todos  se transformaram e por isto, optastes pelo auto exílio, o ostracismo. Mas onde agora estejas meu velho, tudo aquilo que deixastes por aqui sempre ficará na memória, pelo menos, aos de minha geração,  o que com certeza já não é pouca coisa. Somos do século passado onde quer queiram ou não, foi inventado tudo nesta bosta de mundo atual. Mais do que é bom, do que é ruim. Estamos aliás, com um placar bem favorável aos do nosso tempo. Porque aqui, neste século as criaturas estão fazendo força para destruir tudo o que já foi feito. Destruir valores, familia, trabalho, sociedade, direitos, enfim, tudo o que vier pela frente. E isso não é papo de derrotista ou desencantado com o mundo não. É só abrir os olhos pra ver. Ou pensar. Descanse onde agora te encontres. Procure localizar sua parceira Elis pois terão muito que conversar, por os assuntos em dia. Daí, com certeza ainda sairá muita conversa boa. Um bjo. no coração. Vai em Paz.

sábado, 15 de abril de 2017

ODEBRECHT - MÁFIA BRASILEIRA !!!


ODEBRECHT PAGOU U$$ 3,3 BILHÕES EM PROPINA DE 2006 A 2014, DIZ DELATOR.

DIGO EU: 

ALGUÉM TEM DÚVIDA QUE UMA EMPRESA CORRUPTA COMO ESSA, DIRIGIDA POR UMA FAMÍLIA DE GANGSTERS COMO É ESSA "FAMIGLIA", TEM QUE SER VARRIDA DO MAPA ??

ALGUÉM TEM DÚVIDA QUE OUTRAS TANTAS EMPREITEIRAS COMO ESSA CAMARGO&CORRÊA, OAS, QUEIRÓZ GALVÃO, ANDRADE GUTIERREZ, GALVÃO ENGENHARIA, CONSTRUCAP,  SÃO AS MAIORES RESPONSÁVEIS  PELA SITUAÇÃO FALIMENTAR DO BRASIL, JUNTO COM A QUASE TOTALIDADE DOS POLÍTICOS BRASILEIROS ?

ALGUÉM TEM DÚVIDA QUE ESSES FACÍNORAS ROUBAM O PAÍS A MAIS DE 50 ANOS E NUNCA ACONTECEU NADA ?

POIS BEM... É AGORA POVO BRASILEIRO. A ÚNICA POSSIBILIDADE DE REALMENTE ACONTECER ALGUMA COISA COM ESSA TURMA É SE MANIFESTAR CONTRA TUDO ISSO E DE FORMA CONTUNDENTE. LEMBRAR E LEMBRAR TODOS OS DIAS, ESTAR SEMPRE VIGIANDO POIS ELES FARÃO TUDO PRA SAIR DESSA DE UMA OU OUTRA FORMA. 

NOSSO MAIOR PATRIMÔNIO NA ATUALIDADE É SEM SOMBRA DE DÚVIDA A "OPERAÇÃO LAVA JATO" OS PROCURADORES  FEDERAIS, O JUIZ SÉRGIO MORO E MUITOS OUTROS TRABALHANDO 24 HORAS PARA LEVAR ESSA MARGINÁLIA PRA CADEIA. MÃOS A OBRA PODER JUDICIÁRIO. TRABALHO É O QUE NÃO FALTA. ABRAM SEUS CÓDIGOS DE LEIS E APLIQUEM OS ARTIGOS QUE LÁ ESTÃO PREVISTOS PARA PUNIR QUEM SE DEDICA A ESPOLIAR COISAS QUE NÃO TEM DONO. CONFISQUEM TODOS SEUS BENS, SUAS MORDOMIAS, CARGOS E TUDO O QUE FOI DESVIADO POR ESSES SENHORES DE GRAVATA.

VAMOS ESPERAR PRÁ VER. COMO DISSE AQUELE POETA: " SONHAR SEMPRE É ALGUMA COISA MELHOR QUE NÃO SONHAR".

terça-feira, 11 de abril de 2017

Para as crianças da Síria - Emanuel Vieira.


           POR QUEM OS SINOS DOBRAM?
         (OUVINDO – E ESCUTANDO SEMPRE –“HALLELUJAH”, DE LEONARDO COHEN)

NENHUM HOMEM É UMA ILHA ISOLADA (...)

E POR ISSO NÃO PERGUNTES POR QUEM OS

SINOS DOBRAM: ELES DOBRAM POR TI

 (JOHN DONNE (1572–1631).

É a lógica da guerra, é a essência do poder: é justo matar os inimigos. É injusto matar os nossos.
É claro: não há mais tempo para ingenuidades. A estrutura que domina o mundo é poder, dinheiro, tráfico de armas etc.
E com a ascensão de grupos fundamentalistas, da extrema-direita, do terrorismo em todo mundo, essa perversa lógica mercadológica vai prevalecer.
Como continuar? Escuto novamente “Aleluia”, e mais Mozart e Bach.
Apenas palavras. Eu sei: somente palavras. Mas é o que me resta.
A barbárie e a crueldade extrema que são o uso de armas químicas não são fatos novos na história do mundo.
Eu sei, é a institucionalização da barbárie.
A ONU é um fantoche dos interesses imperialistas – de que lado for.
Na Guerra da Síria – seis anos de existência, quase 500 mil mortos, milhões de refugiados – não há santos.
Bashar El-Assad  mata seu próprio povo com armas químicas. E os rebeldes também a usam... santos? Que santos?
Uma pausa – havia dito que o uso de tais armas não é novo na História.
Historiadores relatam que há mais de dois mil anos, os gregos (pais da democracia moderna...) lançavam flechas envenenadas sobre os inimigos.
Em larga escala foram usadas na Primeira Guerra Mundial, quando o mundo “tomou conhecimento dos efeitos devastadores do gás mostarda”.
Mais de 100 mil pessoas morreram – segundo estatísticas – vítimas de armas químicas no conflito.
Na Segunda Guerra, neos nazistas usaram o “zyklon B” e o gás cianídrico
O governo americano subestima a nossa inteligência E O PODER DA MEMÓRIA.
Talvez as novas gerações não saibam.
O que os americanos fizeram no Vietnã foi de uma perversidade sem adjetivos, de uma crueldade que espanta mesmo as consciências mais conservadoras. Usaram à vontade napalm, destruindo aldeias, matando civis inocentes e destruindo o que podiam.
Algo horrendo para a consciência civilizada e democrática.
(E perderam a guerra. Autodeterminação dos povos não é um conceito vazio.)
Por quem os sinos dobram?
Dobram pelos refugiados – que a extrema-direita mundial coloca como o primeiro inimigo.
Só falta os fascistas proclamarem: “mate os seus vizinhos”.

Por quem os sinos dobram? Dobram por todas as crianças do mundo, abandonadas, órfãs, perdidas nos oceanos, ignoradas pelo mundo.
Os sinos dobram pelos humanistas.
O uso de armas químicas é proibido pela Convenção de Genebra desde 1925. Mas qual nação liga para convenções?
Na guerra mais longa do Século XXl, são muitos os interesses geopolíticos em jogo:
envolve os interesses da Rússia, aliada da Síria desde a existência da  União Soviética. Mexe com interesses do Irã, da Turquia, do Estado Islâmico, de grupos como  Hezbollah (“O Partido de Deus”), e também de Israel, do Reino Unido ( que nas Guerras do Golfo, com o “cachorrinho” dos americanos chamado Tony Blair aderiu às invasões do Iraque), da China e outros países e grupos. Sem falar no grande Império: Estados Unidos.
Invasão feita, mesmo que nunca se comprovasse que Saddam Hussein, no Iraque, tivesse armas químicas ou fosse aliado da Al Qaeda.
ALGUÉM DISSE DEPOIS DA FAMÍLIA BUSH, COM ALIADOS, TER INVADIDO O IRAQUE: “ELES ABRIRAM AS PORTAS DO INFERNO”.
Nunca mais foram fechadas. E os demônios estão todos à solta.
No Afeganistão, Iraque, Líbano, em todo o Oriente Médio e em outras nações.

O grande escritor Ernest Hem Hemingway (1899-1961), no seu belíssimo e denso romance “Por quem os Sinos Dobram”, usou os veros de John Donne  como título de sua obra.
                OS SINOS DOBRAM POR TODOS NÓS!

(Salvador, abril de 2017) 

segunda-feira, 3 de abril de 2017

COISAS DA MINHA TERRA...


João Gilberto Noll - ESCRITOR. (assim mesmo, com letra maiúscula.
Opinião: Texto de Fabrício Carpinejar... 

Fabrício Carpinejar: "João Gilberto Noll foi assassinado"

Para escritor, indiferença da sociedade, do poder público e das instituições condenou um dos maiores mitos da nossa literatura  

João Gilberto Noll não morreu de causa natural, foi assassinado pela sociedade. Foi assassinado pela indigência cultural do Estado. Foi assassinado pelo total desprezo de nossas instituições pelos grandes artistas e narradores. Foi assassinado por ausência de incentivo e de apoio. Foi assassinado pelo orçamento imaginário da Secretaria Estadual de Cultura. Foi assassinado pela inanição do Instituto Estadual do Livro.
Em seu enterro na noite de quarta passada, na capela 9 do Cemitério João XXIII, havia menos de 50 pessoas para se despedir de um dos maiores escritores gaúchos de todos os tempos. Não apareceu prefeito ou governador, não apareceu ministro ou deputado federal, não apareceu presidente da Assembleia ou da Câmara Municipal. Os políticos não leem mais? É isto? É artigo de regimento interno?
Não se decretou luto no Estado. Não existiu nenhuma mobilização popular. Não teve cobertura da imprensa no velório.
Ele sequer aparece nos livros de nossas escolas como autor fundamental. Ele não é listado como autor obrigatório em nossos vestibulares. Ele não recebeu nenhuma honra nos últimos cinco anos — a mais recente foi como autor homenageado do Festipoa, em 2011. As novas gerações já não o conhecem, pois simplesmente não o estudam.
Noll ficou mergulhado no ocaso, logo ele que se mantinha integralmente da literatura e dependia de convites para palestras, recitais e conferências. Sua única fonte vinha a ser uma oficina de escrita criativa esporádica.
Não me insulte alegando que ele morreu de velho. Ninguém é mais velho aos 70 anos. Morreu de solidão nesta cidade abandonada às bestas, onde os livros são uma seita para pouquíssimos e corajosos.
Rio Grande do Sul virou uma Sibéria para os criadores, um exílio forçado. Ama-se esta terra platonicamente.
Não parecia que perdíamos um de nossos mitos da literatura, da estatura de um Mario Quintana, de um Caio Fernando Abreu e de um Moacyr Scliar.
Foi um enterro simples, caseiro, envolvido pelos familiares e amigos mais próximos, com apenas três coroas de flores enviadas para ornar a cabeceira do caixão. Não teve fila para se aproximar do corpo e abençoar a sua partida. Então, não me diga que ele morreu de morte natural. Foi assassinado pela indiferença. Pelo desprezo. Pela desinformação. Pela tristeza e pelo desgosto.
Como o nosso maior ganhador de Prêmio Jabuti, o mais prestigiado do país, vencedor de cinco edições (1981, 1994, 1997, 2004 e 2005), vivia na total clandestinidade em Porto Alegre? Como permitimos a sua desaparição pública?
Ele não ganhou nenhuma alta condecoração em vida das autoridades no RS (a exceção foi o Fato Literário em 2009, iniciativa da RBS). Não foi patrono da Feira do Livro. Não é nome de biblioteca, dificilmente servirá para batizar alguma Casa de Cultura. Estamos vendendo o nosso patrimônio e, pelo jeito, não sobrará entidade nenhuma para ser nomeada. Como abandonamos à míngua os nossos mestres?
Não venha com o atenuante de que a sua escrita era difícil, é tão difícil quanto o fluxo de consciência de Clarice Lispector que não para de crescer em vendas e ser saudada no Exterior (The Complete Stories entrou na lista dos cem melhores livros de 2015 feita pelo jornal americano The New York Times). Sua obra — dezoito livros — continua sendo publicada pela Record. Tampouco é por carência de circulação.
Como deixamos de lado um de nossos romancistas mais adaptados ao cinema, com versões conhecidas nas telas de HarmadaHotel Atlântico e do conto Alguma Coisa Urgentemente?
Como as mais prestigiadas universidades estrangeiras, de Iowa e King's College, lhe pagavam para vê-lo produzindo como escritor-residente, e jamais oferecemos condições para ele desenvolver a sua ficção na capital gaúcha, logo ele que residia inteiramente aqui e retratava Porto Alegre em seus livros?
Como ele era convidado a dar aula em Berkeley, nos EUA, na cátedra de Literatura e Cultura Brasileira, e nunca fora convidado para lecionar nas universidades gaúchas, logo ele formado em Letras pela UFRGS?
Como não desfrutava de espaço fixo no rádio e na TV, ele que já foi influente colunista da Folha de S. Paulo de 1998 a 2001?
Como menosprezamos alguém que renovou a escrita e enfrentou a supremacia do regionalismo, que fundou uma escrita urbana, feita da procura nômade da felicidade e de andarilhos que apenas encontravam pátria em seu corpo?
O descaso não pode ser resultado da falta de atualidade da obra de Noll, porque ele era absolutamente pós-moderno e abordava temáticas do momento como homoerotismo, inadequação social e tolerância às minorias.
Como não zelamos por uma carreira vitoriosa de 37 anos, acostumada a projetar o Rio Grande do Sul no cenário internacional?
Ele deveria ter sido lembrado, festejado, paparicado, cuidado, mimado, protegido, acalentado, amado. Assim como Pernambuco fez com Ariano Suassuna antes e depois de sua morte. Mas não aconteceu nada.
João Gilberto Noll morreu do nosso completo nada. Quem será a próxima vítima? Quem?

quinta-feira, 30 de março de 2017

Ocaso de mais um Facínora!!!!


Eduardo Cunha...quem diria!!!!!

Abaixo trecho da sentença dada pelo Juiz Sérgio Moro relativa ao ex-todo poderoso Deputado Federal  Eduardo Cunha. E tem ainda muitas outras ações criminais a responder. A ele, com certeza, se juntarão outros da mesma estatura, colegas de roubalheira, donos das capitanias hereditárias em que se tornou o Brasil. Quiçá, isso venha a servir de exemplo a essa classe política ordinária que tomou as cadeiras do Congresso Nacional. Parabéns a todos os incansáveis Delegados da Policia Federal, seus assistentes, investigadores, membros de todos os escalões que labutam 24 horas no sentido de acabar com toda essa bandalheira. Parabéns aos srs. Procuradores, membros da Receita Federal, e claro, toda a equipe do Dr.Sérgio Moro no judiciário paranaense. A LAVA JATO é , sem sombra de dúvida, um Patrimônio |Nacional. E todos nós, brasileiros, devemos ter em conta todos os dias como somos também responsáveis em protege-la, divulgando e levando ao conhecimento de todos esse trabalho mais que louvável.

                                     Condeno 
485.
Eduardo Cosentino da Cunha:
a) por um crime de corrupção passiva do art. 317 do CP, com a causa de aumento na forma do §1º do mesmo artigo, pela solicitação e recebimento de vantagem indevida no contrato de aquisição pela Petrobrás dos direitos de exploração do Bloco 4 em Benin;
 b) por três crimes de lavagem de dinheiro do art. 1º, caput, da Lei n.º 9.613/1998, pelo recebimento e movimentação posterior de produto de crime de corrupção, mediante condutas de ocultação e dissimulação, envolvendo as contas em nome da Orion SP e Netherton Investments;
e c) por dois crimes de evasão fraudulenta de divisas do art. 22, parágrafo único, parte final, da Lei nº 7.492/1986, pela manutenção de depósitos não declarados no exterior

486. Atento aos dizeres do artigo 59 do Código Penal e levando em consideração o caso concreto, passo à individualização e dosimetria das penas a serem impostas ao condenado.

487. Eduardo Cosentino da Cunha
                         Crime de corrupção passiva:
Eduardo Cosentino da Cunha responde a outras ações penais (ação penal 60203­83.2016.4.01.3400 em trâmite perante a 10ª Vara Criminal Federal de Brasília, e antiga ação penal 982 perante o Supremo Tribunal Federal enviada ao Tribunal Regional Federal da 2ª Região), mas não foi ainda por elas julgado. Então será considerado como tendo bons antecedentes. Conduta social, motivos, comportamento da vítima são elementos neutros. Circunstâncias devem ser valoradas negativamente. A prática do crime corrupção envolveu o recebimento de cerca de um milhão e quinhentos mil dólares, considerando apenas a parte por ele recebida, o que é um valor bastante expressivo, atualmente de cerca de R$ 4.643.550,00. Consequências também devem ser valoradas negativamente, pois os vícios procedimentais na aquisição do Bloco 4 em Benin geraram um prejuízo estimado à Petrobrás de cerca de 77,5 milhões de dólares, conforme cálculo realizado pela Comissão Interna de Apuração da Petrobrás (item 235). A corrupção com pagamento de propina de um 30/03/2017 Evento268SENT1https://eproc.jfpr.jus.br/eprocV2/controlador.php?acao=acessar_documento_publico&doc=701490883637120940040547493602&evento=7014908836371… 99/109 milhão e quinhentos mil dólares e tendo por consequência prejuízo ainda superior aos cofres públicos merece reprovação especial. A culpabilidade é elevada. O condenado recebeu vantagem indevida no exercício do mandato de Deputado Federal, em 2011. A responsabilidade de um parlamentar federal é enorme e, por conseguinte, também a sua culpabilidade quando pratica crimes. Não pode haver ofensa mais grave do que a daquele que trai o mandato parlamentar e a sagrada confiança que o povo nele deposita para obter ganho próprio. Agiu, portanto, com culpabilidade extremada, o que também deve ser valorado negativamente. Tal vetorial também poderia ser enquadrada como negativa a título de personalidade. Considerando três vetoriais negativas, de especial reprovação, fixo, para o crime de corrupção ativa, pena de quatro anos e seis meses de reclusão. Não há atenuantes ou agravantes a serem reconhecidas. A agravante pretendida pelo MPF, do art. 61, II, g, do CP, é inerente ao crime de corrupção.
 Tendo havido a prática de atos de ofício com infração do dever funcional, aplico a causa de aumento do §1º do art. 317 do CP, elevando­a para seis anos de reclusão. Fixo multa proporcional para a corrupção em cento e cinquenta dias multa. Considerando a dimensão dos crimes e especialmente a capacidade econômica de Eduardo Cosentino da Cunha ilustrada pelos recursos de mais de dois milhões de dólares que mantinha no exterior, fixo o dia multa em cinco salários mínimos vigentes ao tempo do último fato delitivo (06/2011).
                          Crimes de lavagem
Eduardo Cosentino da Cunha responde a outras ações penais (ação penal 60203­83.2016.4.01.3400 em trâmite perante a 10ª Vara Criminal Federal de Brasília, e antiga ação penal 982 perante o Supremo Tribunal Federal enviada ao Tribunal Regional Federal da 2ª Região), mas não foi ainda por elas julgado. Então será considerado como tendo bons antecedentes. Conduta social, motivos, comportamento da vítima são elementos neutros. Circunstâncias devem ser valoradas negativamente. A lavagem, no presente caso, envolveu especial sofisticação, com a utilização de não uma, mas duas contas secretas no exterior, em nome de trusts diferentes, com transações entre elas, inclusive com fracionamento quando do recebimento do produto do crime para dificultar rastreamento. Tal grau de sofisticação não é inerente ao crime de lavagem e deve ser valorado negativamente a título de circunstâncias (a complexidade não é inerente ao crime de lavagem, conforme precedente do RHC 80.816/SP, Rel. Min. Sepúlveda Pertence, 1ª Turma do STF, un., j. 10/04/2001). Consequências devem ser valoradas negativamente. A lavagem envolve a quantia substancial de cerca de um milhão e quinhentos mil dólares. A lavagem de significativa quantidade de dinheiro merece reprovação a título de consequências. A culpabilidade é elevada. O condenado realizou condutas de ocultação e dissimulação, entre 2011 a 2014, quando no exercício do mandato de Deputado Federal. A responsabilidade de um parlamentar federal é enorme e, por conseguinte, também a sua culpabilidade quando pratica crimes. Não pode haver ofensa mais grave do que a daquele que trai o mandato parlamentar e a sagrada confiança que o povo nele depositou para obter ganho próprio. Agiu, portanto, com culpabilidade extremada, o que também deve ser valorado negativamente. Tal vetorial também poderia ser enquadrada 30/03/2017 Evento 268SENT1https://eproc.jfpr.jus.br/eprocV2/controlador.php?acao=acessar_documento_publico&doc=701490883637120940040547493602&evento=701490883637… 100/109 como negativa a título de personalidade. Considerando três vetoriais negativas, de especial reprovação, fixo, para o crime de lavagem de dinheiro, pena de cinco anos de reclusão. Não há atenuantes ou agravantes. Fixo multa proporcional para a lavagem em cento e dez dias multa. Entre todos os crimes de lavagem, reconheço continuidade delitiva. Considerando a quantidade de crimes, dois, elevo a pena do crime mais grave em 1/6, chegando ela a cinco anos e dez meses de reclusão e cento e vinte e sete dias multa. Considerando a dimensão dos crimes e especialmente a capacidade econômica de Eduardo Cosentino da Cunha ilustrada pelos recursos de mais de dois milhões de dólares que mantinha no exterior, fixo o dia multa em cinco salários mínimos vigentes ao tempo do último fato delitivo (04/2014).
                          Crime de evasão de divisas:
Eduardo Cosentino da Cunha responde a outras ações penais (ação penal 60203­83.2016.4.01.3400 em trâmite perante a 10ª Vara Criminal Federal de Brasília, e antiga ação penal 982 perante o Supremo Tribunal Federal enviada ao Tribunal Regional Federal da 2ª Região), mas não foi ainda por elas julgado. Então será considerado como tendo bons antecedentes. Conduta social, motivos, consequências, comportamento da vítima são elementos neutros. Circunstâncias devem ser valoradas negativamente, considerando o montante elevado dos valores cuja declaração foi omitida (itens 471 e 472). A culpabilidade é elevada. O condenado realizou realizou as condutas delitivas, entre 2007 a 2014, quando no exercício do mandato de Deputado Federal. A responsabilidade de um parlamentar federal é enorme e, por conseguinte, também a sua culpabilidade quando pratica crimes. Não pode haver ofensa mais grave do que a daquele que trai o mandato parlamentar e a sagrada confiança que o povo nele depositou para obter ganho próprio. Agiu, portanto, com culpabilidade extremada, o que também deve ser valorado negativamente. Tal vetorial também poderia ser enquadrada como negativa a título de personalidade. Considerando duas vetoriais negativas, de especial reprovação, fixo, para o crime de evasão fraudulenta de divisas, pena de três anos de reclusão. Não há atenuantes ou agravantes. Fixo multa proporcional para a lavagem em noventa e cinco dias multa. Entre todos os crimes de evasão, reconheço continuidade delitiva. Considerando a quantidade de crimes, dois, elevo a pena do crime mais grave em 1/6, chegando ela a três anos e seis meses de reclusão e cento e sete dias multa. Considerando a dimensão dos crimes e especialmente a capacidade econômica de Eduardo Cosentino da Cunha ilustrada pelos recursos de mais de dois milhões de dólares que mantinha no exterior, fixo o dia multa em cinco salários mínimos vigentes ao tempo do último fato delitivo (12/2014). 30/03/2017 Evento 268 ­ SENT1 https://eproc.jfpr.jus.br/eprocV2/controlador.php?acao=acessar_documento_publico&doc=701490883637120940040547493602&evento=701490883637… 101/109
Entre os crimes de corrupção, de lavagem e de evasão fraudulenta de divisas, há concurso material, motivo pelo qual as penas somadas chegam a quinze anos e quatro meses de reclusão, que reputo definitivas para Eduardo Cosentino da Cunha. Quanto às penas de multa, devem ser convertidas em valor e somadas. Considerando as regras do art. 33 do Código Penal, fixo o regime fechado para o início de cumprimento da pena. A progressão de regime para a pena de corrupção fica, em princípio, condicionada à efetiva devolução do produto do crime, no caso a vantagem indevida recebida, nos termos do art. 33, §4º, do CP.
488. Em decorrência da condenação pelo crime de lavagem, decreto, com base no art. 7º, II, da Lei nº 9.613/1998, a interdição de Eduardo Cosentino da Cunha, para o exercício de cargo ou função pública ou de diretor, membro de conselho ou de gerência das pessoas jurídicas referidas no art. 9º da mesma lei pelo dobro do tempo da pena privativa de liberdade.
489. O período em que o condenado ficou preso deve ser computado para fins de detração da pena (item 43).
490. Considerando que a vantagem indevida recebida por Eduardo Cosentino da Cunha foi depositada na conta Orion SP, depois foi transferida para a conta em nome da Netherton SP, decreto o confisco dos valores bloqueados pelas autoridades suíças na conta em nome da Netherton SP e que corresponde aos valores que foram recebidos da Orion SP, acrescidos dos interesses e rendimentos de aplicações financeiras, isso no montante de cerca de 2.348.000 francos suíços em 17/04/2015, o equivalente atualmente a USD 2.365.532,63 ou a R$ 7.286.313,60. A efetivação do confisco dependerá da colaboração das autoridades suíças em cooperação jurídica internacional.
491. Necessário estimar o valor mínimo para reparação dos danos decorrentes do crime, nos termos do art. 387, IV, do CPP. Apesar da Comissão Interna de Apuração da Petrobrás ter apontado um prejuízo de cerca de 77,5 milhões de dólares, reputo mais apropriado fixar um valor mais conservador, correspondente ao montante da vantagem indevida recebida, de um milhão e quinhentos mil dólares. Trata­se aqui do valor da indenização mínima, o que não impede a Petrobrás ou o MPF de perseguirem valores, no cível, adicionais. Os USD 1,5 milhão devem ser convertidos pelo câmbio de 23/06/2011 (1,58) e a eles agregados juros de mora de 0,5% ao mês. Os valores são devidos à Petrobrás. Evidentemente, no cálculo da indenização, deverão ser descontados os valores efetivamente confiscados.

492. Deverá o condenado também arcar com as custas processuais

quinta-feira, 16 de março de 2017

Seria isto uma QUADRILHA ?????



                                                       Nomes já conhecidos da 'lista do Janot'

Dentre os 38 nomes revelados pela TV Globo nestas terça e quarta que integram a lista do procurador-geral Rodrigo Janot enviada ao STF, há:
  • Seis ministros do governo Temer – Aloysio Nunes (Relações Exteriores), Eliseu Padilha (Casa Civil), Moreira Franco (Secretaria Geral), Gilberto Kassab (Ciência e Tecnologia), Bruno Araújo (Cidades), Marco Pereira (Indústria, Comércio Exterior e Serviços)
  • Cinco governadores – Renan Filho (Alagoas), Luiz Fernando Pezão (Rio de Janeiro), Fernando Pimentel (Minas Gerais), Tião Viana (Acre), Beto Richa (Paraná)
  • Seis deputados: Rodrigo Maia (DEM-RJ), presidente da Câmara; Marco Maia (PT-RS); Andres Sanchez (PT-SP); Lúcio Vieira Lima (PMDB-BA); José Carlos Aleluia (DEM-BA); Paes Landim (PTB-PI)
  • Dez senadores: Eunício Oliveira (PMDB-CE), presidente do Senado; Edison Lobão (PMDB-MA); José Serra (PSDB-SP); Aécio Neves (PSDB-MG); Romero Jucá (PMDB-RR); Renan Calheiros (PMDB-AL); Lindbergh Farias (PT-RJ); Jorge Viana (PT-AC); Marta Suplicy (PMDB-SP); LÍdice da Mata (PSB-BA)
  • Dois ex-presidentes da República – Luiz Inácio Lula da Silva (PT); Dilma Rousseff (PT)
  • Dois ex-ministros do governo Dilma – Antonio Palocci (PT); Guido Mantega (PT)
  • Um ex-ministro do governo Temer – Geddel Vieira Lima (PMDB-BA)
  • Um ex-governador – Sérgio Cabral (PMDB-RJ)
  • Um ex-presidente da Câmara – Eduardo Cunha (PMDB-RJ)
  • Dois prefeitos – Duarte Nogueira (PSDB-SP), de Ribeirão Preto; Edinho Silva (PT-SP), de Araraquara
  • Um ex-candidato a governador – Paulo Skaf (PMDB-SP)
  • Um ex-assessor da ex-presidente Dilma Rousseff – Anderson Dornelles

Partidos

Veja a distribuição por partido dos nomes da "lista do Janot" revelados pela TV Globo:
  • DEM – José Carlos Aleluia, Rodrigo Maia
  • PMDB – Edison Lobão, Eduardo Cunha, Eliseu Padilha, Eunício Oliveira, Geddel Vieira Lima, Lúcio Vieira Lima, Luiz Fernando Pezão, Marta Suplicy, Moreira Franco, Paulo Skaf, Renan Calheiros, Renan Filho, Romero Jucá, Sérgio Cabral
  • PRB – Marco Pereira
  • PSB – LÍdice da Mata
  • PSD – Gilberto Kassab
  • PSDB – Aécio Neves, Aloysio Nunes, Beto Richa, Bruno Araújo, Duarte Nogueira, José Serra
  • PT – Andres Sanchez, Antonio Palocci, Dilma Rousseff, Edinho Silva, Fernando Pimentel, Guido Mantega, Jorge Viana, Lindbergh Farias, Luiz Inácio Lula da Silva, Marco Maia, Tião Viana
  • PTB – Paes Landim
  • Sem partido – Anderson Dornelles